terça-feira, 10 de junho de 2014

Sistema de Coleta de Lixo

video
Sistema de Coleta de lixo à vácuo, uma proposta revolucionária para as cidades que pensam na sustentabilidade. Nesse video a ideia é construir cidades já com esse novo sistema. Feito para o município de Wembley na Grã Bretanha, a proposta prevê um novo sistema urbano, além dos existentes. Estimulando as pessoas a separarem o lixo por categoria. 

segunda-feira, 17 de março de 2014

Espaços Ociosos


PROPOSTA DE UMA NECRÓPOLE VERTICAL
PARA O SETOR DE TRANSPORTE NORTE - BRASÍLIA - DF



                                                                             As estimativas para áreas de sepultamento 
em Brasília e de certo modo em todas as cidades do Distrito Federal são mínimas não havendo espaços para esta finalidade, estou propondo a proposta de uma Necrópole vertical, mais conhecido como cemitério vertical, é uma tendência nacional e já existe em muitos lugares do mundo.  No Brasil existem apenas quatro. Ela esta localizada aqui, na Avenida STN (Setor de Transporte Norte) próximo ao Setor Noroeste. Esse local está praticamente espelhado em relação ao campo da esperança e foi escolhido para justificar o Cemitério da Asa norte criado por Lucio costa no plano urbanístico e que não foi construído por motivos políticos. Segundo documentos esse cemitério era pra ser construído onde hoje é a SQN 416.

Partido Arquitetônico e Conceito
 -  O partido arquitetônico esta definido da seguinte forma: Um complexo fúnebre além de sepultar mortos de uma maneira sensata e ecologicamente correta proporcionar de tal maneira que as pessoas possam frequentar sem ter a obrigação de sepultar um ente querido. Visitar para observar a arquitetura envolvente do local, andar por seus jardins, frequentar a praça ecumênica para reflexão, ou ir a algum evento no Auditório, usá-lo de uma maneira sensata e respeitosa.
As necrópoles existentes são construídas apenas com um edifício onde tudo ocorre no interior desse, nessa Necrópole a tradição do cortejo fúnebre foi mantida, possibilitando que os amigos e parentes desse ente querido carreguem o seu caixão ou façam honrarias como desejarem até o sepultamento.
 Mas onde estão os Mortos? Sepultados em terra? Não!  Estão sepultados nesse prédio. 
O prédio dos Lóculos, (Lóculos são gavetas fúnebres onde são colocados os corpos) justapostas umas sobre outras em fileiras, formando grandes corredores denominados ruas. O prédio tem uma Forma Volumétrica Quadrangular Prismática, com Vértices chanfrados e seccionados, com grandes esquadrias envidraçadas de vidros refletivos, também chamados de vidro metalizados que tem por finalidade refletir os raios solares 

reduzindo a entrada de calor. Durante o dia a reflexão do vidro se compara a um espelho, e durante a noite provoca um efeito contrario, beneficiando a estética no interior do prédio. O prédio tem uma área de ocupação de 4.400 m² e capacidade para 17.000 Mortos, sendo que cada Lóculo (Gaveta) poderá ser sepultado 3 pessoas, de 3 em 3 anos. No lado leste tem o prédio da Capela Ecumênica com uma forma de um Cilindro prismático desconstruído com grandes esquadrias envidraçadas também de vidro reflexivo. Abaixo dele o Auditório com capacidade para 1000 pessoas, subdivididos em 3 salas. Na parte da Frente do Prédio dos Lóculos tem a Capela de Velório do Crematório, com uma forma volumétrica quadrangular Prismática com um dos vértices chanfrado formando uma grande vidraça de vidro refletido, voltado para o sul e na parte inferior tem o Setor de Cremação. Logo a frente tem o prédio dos Serviços Fúnebres, tbm de formato 







quadrangular prismático, foi disposto no centro do terreno da Necrópole como forma estratégica para que seja o centro nervoso do complexo, onde fica a Administração, Funerária, Serviços de Velório, floricultura, Lanchonetes, banheiros, Salas de repouso e espaços e serviços para funcionários. 

Por esta no centro da Necrópole, o prédio dos serviços tem uma característica diferente dos demais edifícios. Ele esta no subsolo e somente a parte de cobertura esta amostra, dessa forma quem esta no lado oeste não terá a visão dos Edifícios principais comprometidas por esse prédio.  
A Praça ecumênica para reflexão tem formato semelhante aos canteiros, rebaixada a um nível de -1.60m com o objetivo de fazer o usuário ficar mais introspectivo nos seus pensamentos. Existe uma passagem direta entre a praça, o prédio dos serviços e o estacionamento através de um túnel ligando-os.

Canteiros com formatos de figuras geométricas de formas únicas, disposto dessa forma para dar movimentos e beleza estética aos jardins que estão compostos com vegetação de espécies para espargimento de cinzas, selecionadas de tal maneira que não cresçam o bastante para não atrapalhar a visualização da arquitetura do complexo, estacionamentos dispostos nos lados leste, oeste e norte da Necrópole para deixar livre a visualização da fachada sul, além de um estacionamento no subsolo no lado oeste. O complexo tem duas entradas principais situadas na parte sul com guaritas e uma central de emergência. As edificações são em concreto armado pintado de branco. O complexo tem 70.000 m². Bom, mas ocupou-se muito para a construção de um cemitério, se o problema é espaço, o porquê ocupar isso tudo? A legislação determina que se tenha no mínimo 10.000 m² de terreno. Em cemitério tradicional ocupa-se ate 100.000 m² de terreno para 80 mil mortos, na necrópole os sepultados estão em apenas 4.400 m² de área ocupada, o restante são para uso das pessoas, como praça, jardins, Capela e o Auditório.
Todos os edifícios tem uma dimensão bioclimática bastante resolvida, com vidraças voltadas para a parte sul e aberturas voltadas para o Leste. A parte copresencial fica para a área de convívio e encontro não programados. A funcional esta no desenrolar dos fluxos e das dimensões favoráveis dos diversos ambientes, planejados para otimizar espaços e favorecer os serviços oferecidos. 







quinta-feira, 13 de março de 2014

Arquitetura Sustentável

HORTA COM VASOS DE GARRAFAS PET

Quem nunca transformou uma embalagem usada em vasinho? Em muitos quintais brasileiros, a prática é uma maneira de aproveitar pequenos espaços e materiais de baixo custo (que acabariam no lixo) para montar uma horta ou um jardim. “Buscar alternativas para a reutilização das garrafas plásticas é um esforço da sociedade que constato em minhas andanças pelo país”, diz o designer Marcelo Rosenbaum, de São Paulo. Ele se apropriou dessa sabedoria popular ao criar esta horta vertical, na qual dezenas de embalagens PET penduradas em cabos de aço encapados receberam hortaliças e ervas como o alecrim. Recortada no centro, cada garrafa teve a base perfurada para o escoamento da água. Os cabos que seguram as peças pendem de ganchos na parte superior do muro.


Faculdade em Cingapura instala teto verde

O Design Verde é uma tendência da arquitetura moderna, e não estamos falando apenas da cor, mas sim de locais como o prédio de cinco andares da Escola de Arte, Design e Comunicação da Universidade Tecnológica de Nanyang, em Cingapura. A construção conta com uma cobertura vegetal e sua forma orgânica se mistura com a natureza onde está inserida. Os telhados revestidos de grama servem como ponto de encontro informal, além de ajudar no equilíbrio térmico do edifício e na absorção da água da chuva.


Telhado verde reduz temperatura e aumenta umidade.

Estudo realizado em prédios da capital paulista utilizou telhados cobertos de vegetais e constatou a queda na temperatura e aumento da umidade relativa do ar.
 Comparado com o telhado de concreto, o telhado verde melhorou e muito o ambiente para quem vive no local e proporcionou o crescimento da fauna, com a presença de várias espécies de pássaros na região.
O telhado verde pode ser um instrumento importante para reduzir os impactos calor em grandes centros urbanos. Um estudo da Universidade de São Paulo (USP) comparou dois prédios da capital paulista, um com área verde e outro com laje de concreto, o geógrafo Humberto Catuzzo verificou que a temperatura no topo do edifício com jardim ficou até 5,3 graus Celsius (°C) mais baixa. Também houve ganho de 15,7% em relação à umidade relativa do ar.

Mais detalhes no Blog -
http://emverdenovo.blogspot.com.br/
Créditos de Márcio Vieira

Absurdos Urbanos

Isso que eu chamo de lançador de cadeiras de rodas!
Pelo que vejo a AGEFIS (Agencia de Fiscalização do Distrito Federal) deveria fiscalizar e interditar situações absurdas como essas. Completamente fora das normas de acessibilidade. Essa é uma delas em um calçamento em volta de um supermercado em Taguatinga, uma das cidades Satelites do DF, além do absurdo da suposta rampa de cadeirantes, não há piso tatéis ou qualquer outra sinalização indicadora, que ali seja para passagem de Portadores de Deficiencia Fisica. CADÊ VOCÊS AGEFIS!


Esse é um exemplo típico de abandono do bem público e do patrimônio tombado. A rodoviária de Brasília, esta com este deplorável aspecto de quem passa por lá. Revestimentos completamente caindo e sem a devida manutenção. Alguns políticos do próprio governo local, poderá dizer que isso é inicio de uma reforma, reforma? Desde de 2013 que existe essa situação degradante na rodovia de Brasília. Uma cidade onde saiu um governo inerte e entrou um com ideias retrogradas, ou seja, saiu o "Agnulo e entrou o Enrolemberg"


Novo PPCub prevê construção de estacionamento subterrâneo na Esplanada.
Alterações no texto original do PPCub são aprovadas pelos conselheiros do Conplan e podem permitir a construção de projeto engavetado pelo governo.

O projeto foi anunciado pelo governador em janeiro do ano passado e previa um estacionamento subterrâneo com 10 mil vagas
 Os membros do Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do Distrito Federal (Conplan) aprovaram nesta sexta-feira (14/3), o artigo do Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCub) que prevê a construção de garagem subterrânea no gramado central da Esplanada dos Ministérios. Essa possibilidade havia sido vetada pelo grupo de técnicos e especialistas, formado pela Câmara Legislativa para revisar o PPCub, mas acabou aprovada na votação de hoje que avaliou os destaques aos artigos do projeto (PLC 078/2013).
O grupo de trabalho continha integrantes do Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal (IHGDF), do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), da Sedhab, do IAB-DF e da UnB. Mas na manhã de ontem, os técnicos deixam a votação por não concordarem com a metodologia de análise do PPCub.

Estacionamento
O projeto foi anunciado pelo governador em janeiro do ano passado e previa um estacionamento subterrâneo com 10 mil vagas na Esplanada dos Ministérios. A construção seria erguida a partir de uma parceria público privada (PPP), em conjunto com a Câmara dos Deputados e o Senado. À época, o governador enalteceu as vantagens do projeto que previa a construção de um prédio subterrâneo com quatro pavimentos, que além de vagas para carro, abrigaria restaurantes e bancos.

Por se tratar de PPP o acesso ao estacionamento seria cobrado, mas o andamento do suntuoso projeto está parado.
“Vamos fazer um estacionamento subterrâneo. Vamos ter aproximadamente 10 mil vagas e isso vai atender muito [à cidade] e principalmente à Câmara e ao Senado. Além disso, terá área de alimentação, espaço para alguns serviços que funcionam na Câmara e no Senado”, disse Agnelo após encontro com os então presidentes das duas Casas, senador José Sarney e deputado Marco Maia.
Por se tratar de PPP o acesso ao estacionamento seria cobrado, mas  o andamento do suntuoso projeto está parado. Após o anuncio feito pelo governador junto com os representantes do Legislativo Federal em 2013, o governo não divulgou o edital do projeto que prometia alto investimento econômico. Durante o anúncio do projeto o governador ressaltou que o edital de licitação estaria pronto em três meses e a obra concluída em até três anos.

De acordo com a Secretaria de Comunicação, a proposta estaria passando por uma nova modelagem econômico e financeiro, mas até a publicação da reportagem, ainda não havia adiantado detalhes sobre o andamento do projeto.


ANOMALIAS URBANAS

Quando vejo esse shopping, a impressão que tenho é que o gabarito de construção desse setor ou foi alterado para beneficiar tal empreendimento ou esta completamente irregular. Como uma construção desse porte poderia ter sido aprovada em um setor onde a cota de coroamento não passava de 12 metros de altura, o que teria acontecido? Como fica a ventilação, o sol da manhã benéfico a todos os seres vivos e o sombreamento nas residencias que estão no lado oeste e leste? Que eu saiba o sol nasce para todos. Gerar empregos é muito bom, mas qualidade de vida é melhor ainda.